O desenvolvimento econômico de São Paulo passa por aqui

Com uma população estimada em 45 milhões de pessoas, conforme projeção do IBGE em 2017, São Paulo continua sendo o principal motor da economia no país. O Estado responde por quase um terço do PIB brasileiro, superando o Rio de Janeiro, que ocupa a segunda posição, com 11,6%. A importância de São Paulo para a economia nacional é reflexo do papel preponderante do setor privado para mover a engrenagem econômica. Na Apelmat reunimos as principais empresas dos segmentos que representamos, auxiliando na construção de um setor cada vez mais forte, ao mesmo tempo em que geramos centenas de empregos. Nesses 33 anos de fundação, zelamos pelos interesses dos nossos associados, mas desde janeiro de 2018, quando assumimos a presidência da associação, iniciamos um processo de implantação de uma nova sistemática de trabalho com a presença de um número cada vez maior de empresas, além de fortalecermos nosso relacionamento com os fabricantes e dealers de equipamentos. Entendemos que as perspectivas de negócios para os próximos anos serão bem mais favoráveis, contudo destacamos a importância de unirmos esforços para atingir resultados cada vez melhores para todos. Fortalecer essa ligação trará não apenas benefícios no curto prazo para cada associado, mas será um dos ingredientes principais que irá contribuir para o desenvolvimento econômico e social do nosso país. Flavio Figueiredo Filho Presidente da Apelmat
Mais da Apelmat
Empresários do setor de locação apostam na retomada dos negócios
Empresários do setor de locação apostam na retomada dos negócios

Em sua sétima edição, o Congresso Nacional de Valorização do Rental...

Automec recebe prêmio em conferência global da JCB
Automec recebe prêmio em conferência global da JCB

Distribuidor oficial da JCB em São Paulo, o grupo Automec recebeu o Prêmio Transformação...

Crescimento: construção civil reage e começa a gerar 1 em cada 5 empregos
Crescimento: construção civil reage e começa a gerar 1 em cada 5 empregos

Após cinco anos em queda, finalmente a construção civil começa a reagir....